Fazer curso, começar uma graduação tecnóloga ou aprender por conta própria? Esse é um dos muitos questionamentos de quem pretende iniciar na carreira fotográfica. Mas ainda não sabe por onde.

Esse assunto já foi tão abordado e debatido, que decidi passar para você uma visão ampla das três questões citadas acima, com o objetivo de abrir seu campo de visão acerca do tema.

Muitos iniciam na fotografia sem querer, normalmente através do hobby.

Alguns partem para a edição e reconfiguração de imagens, sejam elas de estúdio ou externas, outros ficam na parte raiz de pôr uma câmera nas mãos e clicar tudo o que for relevante.

Tem gente que tem realmente como um passatempo, algo como uma distração que pode ser feito através de um smartphone ou até mesmo de uma máquina portátil de fotografia.

Então, acabam indo a um evento ou exposição e aquele amor se transforma em algo de maior proporção – virando até ganha-pão e sustento. Então, a partir daí, se inicia a jornada do iniciante.

Sendo bem breve: existem mil caminhos para alguém seguir que no fim, o levam para dentro do setor da fotografia.

Por isso, muitas perguntas relacionadas a este assunto acabam surgindo ao longo da carreira, tipo:

Como aprender fotografia sem precisar de um alto investimento financeiro?”. “Vale a pena fazer cursos sobre o tema?”. “E faculdade? Vale mesmo o esforço?”.

Bom, a verdade é que não existe receita mágica ou uma resposta certa para isso.

O que podemos fazer é analisar todos esses planos de carreira e ver o que melhor se encaixa ao investimento que você pretende fazer e ao objetivo profissional que você pretende atingir.

“Como aprender fotografia sem precisar de um alto investimento financeiro?”

Como sabemos que na atual realidade, não tá fácil pra ninguém, muitos meios de “gambiarra” acabaram surgindo para contribuir no nosso desenvolvimento profissional.

O que se pode fazer para tentar contornar a situação da falta de dinheiro, é a seguinte:

Use a internet ao seu favor. “Como?”. Simples, a presença de blogs e vlogs on-line contribui muito para o nosso aprendizado, já que ele está em constante atualização.

Existe uma diversidade imensa de conteúdos, inclusive, separados por nichos, ajudando ainda mais na hora de fazer o seu plano de estudos.

Algumas pessoas até compram livros no sebo da sua cidade. Ou até conversam com pessoas próximas que já possuem certa experiência e intimidade com a câmera.

Outros até leem manuais de uso da própria máquina. Porque muitas das coisas importantes que são aplicadas e ensinadas nos cursos, estão bem ali naquele encarte.

Mas assim, voltando ao assunto de internet, no Youtube você fazendo uma simples e boa busca, você consegue encontrar muitos canais espacializados com vídeos explicando todo tipo de dúvida, ajudando inclusive na prática e uso de todo tipo de equipamento.

O bom, é que o básico da fotografia não se altera com o passar do tempo, só se modifica talvez os materiais que usamos para fazer aquela composição.

Então, fica de pouca importância buscar se o conteúdo é de ontem ou de 5 anos atrás.

“Vale a pena fazer cursos sobre o tema?”

Se você tiver o valor de investimento, vale e muito. O bom desses cursos como os da Escola Pernambucana de Fotografia é que de forma breve e prática, você aprende absolutamente tudo.

A diversidade de abordagens dentro da área contribuem para que seu cérebro dê aquela expandida e diversas questões deixem de martelar na sua cabeça.

O mais legal é que eles costumam existir em todos os horários (manhã, tarde e noite) e ainda tem alguns com a possibilidade de serem nos fins de semana (aos sábados).

Tem aula de edição com PhotoShop e LightRoom, de iniciação, além dos cursos mais avançados. Pra galera que já está estável na área e só quer uma reciclagem para continuar atualizado nos conhecimentos.

“E faculdade? Vale mesmo o esforço?”

Na real, a maior utilidade dentro de uma Universidade para se estudar fotografia, é:

1. ter contatos extremamente profissionais dentro de área, te contribuindo para explorar novos horizontes;
2. ter uma certificação de formação superior.

Claro, tudo vai depender muito no nicho na qual você pretende atuar. Trabalhar para empresas, principalmente as de mídia e comunicação, requer uma comprovação como o diploma superior, para conseguir a colocação profissional.

Se você pretende trabalhar para si, principalmente nesse início, onde a grana é curtíssima, te indico mais as opções anteriores com o estudo solo e o investimento breve em um curso de pouca duração.

Porque, vale muito lembrar nesses momentos que: a fotografia não é uma profissão regulamentada. Ou seja, você pode trabalhar para si só ou para os outros. Isso sem ter a necessidade de um diploma que comprove suas qualificações educacionais.

Por enquanto, é isso. Independentemente do meio que você arrume para construir seu “eu fotógrafo“, defenda-o com unhas e dentes. Nunca deixe o aprendizado para depois e nunca pare de se atualizar. Porque as regras de fotografia não mudam, mas as novidades chegam e vão a cada instante.

Fique de olho também nas redes sociais, porque elas são um berço de novidades. Tudo o que já de novo, está no Instagram e Pinterest, por exemplo.

E aí? Já decidiu o que pretende fazer da vida? Conta pra gente aí embaixo qual o seu posicionamento com relação às soluções adotadas acima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0
    0
    Seu carrinho
    Seu carrinho está vazioVoltar para a loja